The Armory Show 2016

INHABITED PAINTING X

INHABITED PAINTING X

Acrílica e resina sobre lona, 100 x 300 cm, 2016

INHABITED PAINTING IX

INHABITED PAINTING IX

Acrílica e resina sobre lona, 100 x 300 cm, 2016

INHABITED PAINTING VIII

INHABITED PAINTING VIII

Acrílica e resina sobre lona, 66 x 300 cm, 2016

INHABITED PAINTING VII

INHABITED PAINTING VII

Acrílica e resina sobre lona, 102 x 300 cm, 2016

INHABITED PAINTING VI

INHABITED PAINTING VI

Acrílica e resina sobre lona, 135 x 300 cm, 2016

INHABITED PAINTING V

INHABITED PAINTING V

Acrílica e resina sobre lona, 300 x 300 cm, 2016

INHABITED PAINTING IV

INHABITED PAINTING IV

Acrílica e resina sobre lona, 125 x 300 cm, 2016

INHABITED PAINTING III

INHABITED PAINTING III

Acrílica e resina sobre lona, 313 x 300 cm, 2016

INHABITED PAINTING II

INHABITED PAINTING II

Acrílica e resina sobre lona, 318 x 300 cm, 2016

INHABITED PAINTING I

INHABITED PAINTING I

Acrílica e resina sobre lona, 245 x 300 cm, 2016

Sobre a feira

The Armory Show 2016

 

  03/03/2016 até 06/03/2016

Artistas: Delson Uchôa.

Pier 94 - Contemporary | Stand 745

abertura quinta, 03 de março de 2016, das 12h às 19h

de 04 a 06 de março

sexta a domingo, das 12h às 19h

PIER 92 & 94 
12th Avenue at 52 and 55th Street 
New York, NY 10019


PINTURA HABITADA


Para a Armory Show 2016, o artista propõe o projeto “Pintura habitada”, uma instalação sensorial, móvel, composta por 10 pinturas que estarão suspensas em dois trilhos, a fim de desintegrar a pintura e ampliá-la no espaço. Essa instalação permitirá a incursão do espectador através de painéis móveis de pintura, bem como a manipulação do espaço, criando vivências subjetivas da cor. O trabalho inspirado no neoplasticismo e no suprematismo promoverá a desmaterialização do espaço físico em espaço virtual, com o objetivo de alcançar a integração do tempo na obra, também chamada de quarta dimensão. 

Para Delson Uchôa (Maceió, 1956), a pintura sempre foi uma morada. Sua casa é forrada com “Xadrez de chão”, pintura que reflete a luz de seu lugar, acolhe cromaticamente os caminhos e descaminhos de sua vida, pontua o desenvolvimento pictórico e a prodigalidade de seu fazer artístico. 

Sobre o “Xadrez de chão”, tela-piso de cor tórrida do Nordeste brasileiro, o artista vive, pensa, e trabalha. Como Reverón imerso no puro branco na comovente experiência em “EI Castillete”, como Arthur Bispo do Rosário em estado permanente de arte, Uchôa cultiva sua pintura de modo que vive imerso em cor. Posteriormente, essa pintura é extraída do solo como uma membrana, para ser transformada em painéis cromáticos de luz. 

Uchôa estabelece uma relação próxima com o neoconcretismo brasileiro, não apenas pelas formas retratadas, abstrações formais, mas também por criar pinturas sensoriais, como Hélio Oiticica fazia com seus Penetráveis e Parangolés, e Lygia Clark com sua poética em “Casa corpo”. 

 

Mais infos: http://www.thearmoryshow.com/