Recôndito Plasmado

Dossel Florestal

Dossel Florestal

Acrílica, cascas de Araucaria Angustifolia, embalagens, papel e poliuretano sem tela, 230 x 330 cm, 2017

Wormhole

Wormhole

Acrílica e esmalte sobre tela, 84 x 62 cm, 2017

Reologia

Reologia

Vídeo, projeção em looping, 1’35”, 2017

Cárstico III

Cárstico III

Encáustica, mármore nero marquina e rocha, 33 x 115 x 80 cm, 2017

Condense

Condense

Acrílica sobre tela, 150 x 120 cm, 2015

Ádito

Ádito

Acrílica, encáustica e esmalte sobre tela, 220 x 180 cm, 2016

Entrecho

Entrecho

Acrílica sobre madeira, 37,5 x 28,7 cm, 2017

Entrecho

Entrecho

Acrílica sobre madeira, 37,5 x 28,7 cm, 2017

Entrecho

Entrecho

Acrílica sobre madeira, 37,5 x 28,7 cm, 2017

Etéreo

Etéreo

Acrílica, encáustica e oléo sobre tela, 190 x 170 cm, 2015

Hialóides

Hialóides

Acrílica, esmalte e óleo sobre tela, 50 x 40 cm cada, 2015

Sem Título

Sem Título

Acrílica, encáustica e esmalte sobre tela, 50 x 40 cm, 2016

Sem Título

Sem Título

Acrílica, encáustica e esmalte sobre tela, 50 x 40 cm, 2016

Propileu

Propileu

Acrílica sobre tela, 210 x 180 cm, 2018

Iluminado

Iluminado

Acrílica sobre tela, 50 x 60 cm, 2017

Recôndito Plasmado

Curitiba - SIM Galeria

 

  23/01/2018 até 03/03/2018

Artistas: Willian Santos.

Willian Santos, artista nascido e residente de Curitiba, traz para sua primeira individual na SIM Galeria, o intrincamento entre encontros e reencontros com formas nativas de seu universo íntimo e de uma cronologia pictórica universal. Em “Recôndito Plasmado”, as pinturas, desenhos, objetos e esculturas do artista têm em comum a aura enigmática promovida por uma figuração inacabada, que se desmancha e se dilata, e que deixa sua catástase a cargo do público.

A partir da visitação à sua pesquisa da última década, o artista flagrou-se em uma recorrência imagética que transborda por toda a presente exibição mas que ali se apresenta com o desafio plástico próprio do processo criativo de Willian Santos. Como, por exemplo, em sua grande escultura em fibra – material inédito em sua produção – em desenhos e pinturas.

É justamente por saber do papel das relações inconscientes e individuais na elaboração e apreensão da linguagem artística que Willian Santos prima pela relação de presença e experiência do observador quando materializa sua obra. Fazendo-se, assim, essencial o encontro presencial do observador com seu trabalho para que as múltiplas relações sugeridas por suas obras, se materializem.

Willian formou-se em Artes Visuais pela Universidade Tuiuti do Paraná em 2009. Suas primeiras mostras individuais aconteceram em 2011, com a exposição “Campo Dilatado”, no SESC da Esquina, Curitiba-PR e em 2012, com a exposição "Desenhos", no Museu de Arte de Joinville, Joinville-SC. A mais recente exposição do artista, “nem todo líquido se desmancha em ar” aconteceu na Galeria Casa da Imagem, em Curitiba-PR. Dentre suas muitas participações em mostras coletivas, destacam-se: em 2017, “QUEERMUSEU: Cartografias da diferença na arte brasileira”, no Santander Cultural, Porto Alegre-RS e “PINTURA [diálogo de artistas]”, na Caixa Cultural, Rio de Janeiro-RJ. E em 2016 é premiado no “19º Edital de Incentivo à Produção Chico Lisboa”, no Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli – MARGS, Porto Alegre-RS.